Reader Comments

Emagrecer De Verdade

by Sâmela Faria (2018-01-31)


As pessoas costumam subestimar a saciedade numa dieta, principalmente quando estão com bastante vontade de perder peso. Parece que sentir fome é análogo a emagrecer, mas pode acreditar em mim: uma coisa não tem nada a ver com a outra.

Quando o indivíduo está saciado, ele não vai ficar pensando apenas em comida. Usando um exemplo esdrúxulo, lembre-se do almoço de domingo, aquela feijoada maravilhosa: você come até quase estourar e depois não quer nem ver comida na sua frente. Estar saciado é deixar a comida – mesmo os doces, frituras e tudo que é saboroso, mas engorda – de lado. Dê valor a essa sensação! Ficar passando fome não está com nada!

A fibra, quando entra em contato com os líquidos presentes no nosso estômago, forma um tipo de gel que demora a ser digerido.

O corpo humano não consegue absorver as fibras, portanto do mesmo jeito que elas entram, saem. Isso significa que além de todas essas vantagens, a fibra ainda regulariza e faz o seu intestino trabalhar. Frutas, cereais integrais, leguminosas e verduras são as principais fontes de fibras.

Quanto mais vezes você come, mais o seu corpo vai trabalhar para digerir aquele alimento. Se a cada 3 horas uma pessoa faz uma pequena refeição, os órgãos digestivos estarão em constante trabalho. Quanto mais trabalho, mais emagrecimento!

Além do mais, dessa forma você sente muito menos fome, o que vai te impedir de exagerar da próxima vez que for comer. Mas atenção! Divida bem as calorias para cada lanche a fim de não ultrapassar seu limite diário. Para saber qual é esse limite, consulte uma nutricionista.

Aposte em legumes, verduras, frutas e carnes magras para emagrecer. Cereais, leite e derivados também fazem bem quando a quantidade é adequada. Pode até tomar uma cervejinha no fim de semana. Tudo pode, se você souber seus limites e mantiver o foco. Não corte carboidratos, gorduras e nem proteínas. Seu corpo precisa de tudo isso para funcionar direito. A chave é a moderação.

O exercício físico de qualquer natureza se divide em dois: aeróbico e muscular. O primeiro é aquele que faz a gente cansar. Por exemplo: dançar, correr, pular. Os exercícios musculares servem para fortalecer os músculos e são feitos com peso na academia ou mesmo usando o peso do próprio corpo.

Os aeróbicos são os responsáveis por queimar gordura, já que quanto mais você se mexe, de mais energia o corpo vai precisar e você acaba por emagrecer. Não faça da atividade física, porém, uma obrigação. Encontre algo que gosta e mergulhe nisso! Assim você estará se divertindo e, ao mesmo tempo, emagrecendo.

Enquanto os aeróbicos queimam gordura, os musculares transformam a gordura em músculo. O tecido muscular é chamado de massa magra; quanto maior for o índice de massa magra do seu corpo, mais saudável você será e mais rápido vai ficar seu metabolismo.

A cada semana uma dieta nova é lançada na mídia. Elas prometem muita coisa para as mulheres, mas tome muito cuidado ao encarar algo assim. Muitas dessas dietas são restritivas e podem até levar a pessoa a perder massa muscular.

O sal é a fonte principal de sódio da nossa alimentação. Quando em excesso no organismo humano, o sódio aumenta o risco de hipertensão e retenção de líquido, o famoso inchaço. O açúcar, por sua vez, é responsável por acumular gordura, principalmente na região da barriga. Os carboidratos simples são a fonte mais expressiva de açúcar, como os refrigerantes, doces, pães, bolos e massas.

Quando o processo se dá de forma muito rápida, sem supervisão de um nutricionista e sem saúde, o corpo pode dar sinais de que algo está dando errado. Alguns sintomas são: fraqueza, queda de cabelo, constipação intestinal, tontura, flacidez ou ainda unhas fracas e indisposição.

A gordura trans é componente de muitos sorvetes, biscoitos e bolos industrializados. Ela aumenta o colesterol ruim e diminui o bom. A gordura trans também aumenta os triglicerídeos e ainda pode trazer uma série de malefícios para o corpo.

blog detalhado

As gorduras saturadas estão presentes em carnes vermelhas, leite integral, queijos e derivados do leite em geral. Enquanto houver a presença expressiva desse tipo de alimento no seu dia a dia, o emagrecimento vai ter uma barreira considerável para acontecer.

Muita comida engana. Há uma série de frutas, legumes e carnes bastante calóricas, mesmo in natura.

Faça uma consulta com um nutricionista de confiança para que ele indique as melhores opções para você, combinando seu gosto e alimentos saborosos os quais vão te ajudar a emagrecer.

A banana e o abacaxi, por exemplo, são alternativas nutritivas e também calóricas.

O mesmo podemos dizer sobre o suco de laranja: muito nutritivo e muito calórico. Tome cuidado! Para os alimentos industrializados, o dobro de atenção: sempre confira o rótulo antes de comprar e consumir.

A média de água que uma pessoa precisa beber mesmo que não queira emagrecer é de 2 litros por dia. A água é fundamental para manter as funções do corpo em dia, o que inclui o metabolismo.

Todo fim de semana dá aquela vontade de tomar uma cervejinha, principalmente quando está calor. Não é uma proibição, mas veja esse dado: o fígado é o responsável por metabolizar tudo que passa pelo corpo.

O organismo considera o álcool uma toxina, e portanto o fígado dá preferência à metabolização da bebida alcoólica antes dos outros nutrientes. Isso significa que beber qualquer tipo de álcool diminui o seu metabolismo – sem falar na barriguinha de chope que se forma. Uó, né?

É interessante fazer uma média de quantas calorias você ingere por dia e diminuir esse valor para que o emagrecimento aconteça.

Sempre consulte um profissional da nutrição antes de mexer no seu consumo calórico. Dietas com menos de 1.200 calorias por dia podem interferir na sua saúde e proporcionar desmaios, fraqueza, efeito sanfona e outros.

Mesmo assim, é possível consumir uma média bacana de calorias e ainda assim emagrecer.

O Índice de Massa Corporal (IMC) é a maneira mais eficiente se o peso de uma pessoa está dentro do saudável ou não. Calcula-se o índice através do peso em quilogramas dividido pela altura da pessoa ao quadrado.

Não se prenda a ele, porém: o IMC não leva em consideração a proporção de gorduras, músculos e massa óssea. Cada pessoa tem uma estrutura diferente e o melhor mesmo é traçar planos individuais de alimentação e exercícios.